Todo dia um filme de terror: semana 13




Semana 1 / Semana 2 / Semana 3 / Semana 4 / Semana 5 / Semana 6 / Semana 7 / Semana 8 / Semana 9 / Semana 10 / Semana 11 / Semana 12



Essa semana, novamente, não tive um tema que me guiasse. Só escolhi os filmes de forma aleatória (com exceção de Friday the 13th, que foi assistido numa sexta-feira 13.)
Pra quem continua acompanhando: muito obrigada!
Continuem mandando dicas e essas coisas, eu juro que anoto tudo.
O Fright Like a Girl está passando por mudanças. Estou formulando um calendário de postagens, pras coisas ficarem mais organizadas, e logo teremos mais postagens semanalmente.

A lista:

08 de abril: The Serpent and the Rainbow (1988)

Direção: Wes Craven

Um antropólogo viaja até o Haiti para pesquisar uma droga que pode zumbificar pessoas.

É um filme muito bacana. Gosto do Wes Craven e de boa parte dos filmes dele (Scream é um dos meus filmes preferidos e Sidney é uma personagem que admiro imensamente). Se existe algo pra ser criticado em The Serpent and the Rainbow é só aquela velha questão do desconhecido como exótico e perigoso mas que pode ser muito benéfico para nós se pudermos retirar do seu local de origem e utilizarmos (que é um tema muito caro pra mim e que logo deve surgir um texto sobre). De resto, é um filme bacana.



09 de abril: The Theatre Bizarre (2011)

Direção: Vários Diretores.

Uma antologia com seis segmentos, conectados por uma mulher que tem um interesse enorme em um grande teatro antigo do outro lado da sua onde ela mora. Ao chegar ao teatro, um homem-boneco começa a lhe contar histórias assombrosas. The Mother of Toads, dirigido por Richard Stanley, com uma pegada meio lovecraftiana, baseada na história de Clark Ashton Smith; I Love You, de Buddy Giovinazzo, de um relacionamento abusivo e obsessivo; Wet Dreams, dirigido por Tom Savini, sobre um homem que recorre a um psicologo sobre sonhos eróticos em que termina sendo castrado por sua esposa; The Accident, por Douglas Buck, sobre uma mãe e uma filha em uma viagem, onde veem um cervo ser morto após ser atropelado; Vision Stains, de Karim Hussain, sobre uma escritora/serial killer, que não consegue sonhar; e Sweets, de David Gregory, sobre fetiche, doces e canibalismo.

Bom, com a sinopse dos segmentos acho que é bom deixar um grande letreiro luminoso de trigger warning. É um filme bastante bizarro, diversas vezes eu me perguntei o que estava fazendo com a minha vida, mas é uma experiência interessante. Se nenhum dos temas te perturba, talvez valha dar uma chance. The Accident é algo que preciso rever até compreender tudo no segmento, que não faz muito sentido estar nessa antologia.



10 de abril: Super Dark Times (2017)

Direção: Kevin Phillips

Zach e Josh são dois amigos, que sempre foram amigos. Quando um acidente acontece, porém, Zach precisa aceitar que essa amizade talvez tenha alguns problemas.

Eu gostei muito do filme. Típico filme de adolescente que é inconsequente e confuso, mas muito bacana. Muito simples, muito honesto. Acho que é uma boa dica pra quem curte filmes adolescentes tipo It Follows. Não tem muito da pegada sobrenatural, mas é um bom filme.



11 de abril: Nosferatu (1922)

Direção: F.W. Murnau

A história de Drácula contada a partir de um alemão, que resolveu fazer um filme sobre o trabalho do Bram Stoker mas não conseguiu os direitos. Ele foi e adaptou por si mesmo.

E devo dizer que é a melhor produção feita inspirada no trabalho do Stoker. A mais fiel, pelo menos. É um ótimo filme, é assustador como precisa ser, os elementos do livro estão todos lá, e tem um climão de assombro mesmo.



12 de abril: Carnival of Souls (1962)

Direção: Herk Harvey

Mary Henry sofre um acidente com suas amigas após entrar em uma corrida com outro carro. Mary não morre, porém sua vida é transformada após decidir se mudar de cidade. Coisas estranhas começam a acontecer com Mary, que se percebe presa entre dois mundos.

As vezes a gente encontra aqueles filmes que moldaram toda uma ideia de gênero e subcategorias, né? Mary é uma protagonista mulher, em um filme de horror independente da década de 1960, que afirma veemente que o problema está em sua cabeça, e quando questionada se o que lhe faltava não seria uma companhia masculina, ela diz que não, que ela precisa confrontar seus medos. Foi um filme que inspirou muita gente importante por terror, como o George Romero e o David Lynch. E tem cenas incríveis.




13 de abril: Friday the 13th (1980)

Direção: Sean S. Cunningham

Um grupo de jovens contratados para cuidar do acampamento de Crystal Lake se encontram com um sério problema quando um a um começam a ser assassinados.

Era sexta-feira então nada mais justo do que assistir Sexta-Feira 13, né. É interessante essa cultura de filmes de "adolescentes - acampamento - chacina" que aconteceu nos anos 1980. Queria ter assistido todos, mas não tive tempo. :(



14 de abril: Suspiria (1977)

Direção: Dario Argento.

Suzy Bannion quer ser uma grande dançarina. Ao entrar em uma conceituada escola de ballet, acaba descobrindo que o local é muito, mas muito, muito estranho mesmo. Coisas estranhas começam a acontecer com Suzy e pessoas que ela se aproximou.

Eu demorei tempo demais pra assistir esse filme. É um filme belíssimo visualmente, e é um ótimo filme.





Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler tomando um café quentinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram