Todo dia um filme de terror: semana 12




Mais uma semana desse projeto que eu tanto amo. Hoje peguei uma lista dos “100 melhores filmes de terror de todos os tempos” (sic) e só tinha assistido 36. Mas percebi também, com a ajuda de um amigo, que eu não preciso desse tipo de lista, e eu posso escolher o que eu quiser assistir e criar minha própria lista.

Sem muitas enrolação, vamos diretamente para a lista do que foi visto essa semana.

A lista:

01 de abril: Trilogy of Terror (1975)

Direção: Dan Curtis

Três segmentos baseados em histórias do Richard Matheson (escritor de Eu Sou a Lenda). Nos três segmentos temos uma mulher como protagonista. No primeiro segmento, Julie é uma professora que está na mira de um de seus aluno, que a chantageia para sair com ele. No segundo, Millicent e Theresa Larimore são duas irmãs que, após a morte do pai, não conseguem ter uma relação de paz. No terceiro, Amelia compra uma estatueta para dar de presente ao seu namorado, porém a estatueta acaba ganhando vida.

Os três segmentos são ótimos. Todas as protagonistas são interpretadas por Karen Black, que faz um trabalho sensacional. Algo nas histórias adaptadas de Richard Matheson me faz ter uma ideia de que ele tem certo medo/receio de mulheres, mas preciso ler uma obra dele pra elaborar melhor essa ideia.





02 de abril: Cat People (1942)

Direção: Jacques Torneur

Irena é uma mulher que se nega a se deitar/beijar seu marido, pois teme que algo que corre em seu sangue possa fazer ela virar um monstro felino e matá-lo.

Bom, eu amei esse filme. Aquela velha história de “que isso, meu bem, você está louca” mas na verdade ela tem absoluta certeza do que está falando, mesmo que só através de um instinto. O filme tem um remake de 1982, também chamado Cat People. Ainda não vi, mas está na Netflix, pra quem se interessar.



03 de abril: Children of the Corn (1984)

Direção: Fritz Kiersch

Crianças tomam conta de uma cidade, após assassinarem todos os adultos, e são comandadas por um jovem chamado Isaac, que afirma ouvir a voz de uma entidade superior.

Outra adaptação do Stephen King maravilhosa, que eu gostei demais. Kids goes crazy e etc. É um ótimo filme pra assistir no comecinho da noite, uma narrativa gostosa, rápido e aqueles efeitos incríveis que só os anos 80 tinham.



04 de abril: Teen Wolf (1985)

Direção: Rod Daniel

Scott Howard (Michael J. Fox) descobre, durante sua adolescência, que é um lobisomem. ao invés de procurar esconder esse fato da população, o jovem usa sua forma lobo pra jogar basquete e ser popular.

É comédia? Sim. Mas o tema é lobisomem, então a gente dá aquela encaixada na lista. Sinceramente, eu amei a transformação do J. Fox em lobisomem nesse filme. É um filme muito divertido.



05 de abril: February (2017)

Direção: Oz Perkins

Duas garotas ficam presas no internato durante o inverno. Enquanto isso, outra história é contada, de uma jovem que pega uma carona no meio da estrada. Em um momento as histórias se juntam e é aquele eita.

Eu acabei revendo February pra escrever essa postagem aqui pro Delirium Nerd. É um filme que eu já tinha gostado muito, e rever foi ótimo. Tá disponível na Netflix. Emma Roberts e Kiernan Shipka estão maravilhosas.



06 de abril: The Eyes of My Mother (2016)

Direção: Nicolas Pesce

Uma garota cresce isolada em uma fazenda após ver sua mãe ser assassinada na sua frente, e ignora o que é certo e errado.

É um puta filme. Kika Magalhães tem uma atuação maravilhosa, a sequência de acontecimentos é incrível.



07 de abril: The Gift (2015)

Direção: Joel Edgerton

Um casal se muda para o subúrbio, enquanto o marido tenta subir na carreira, mas um amigo do passado acaba aparecendo e as coisas ficam bem ruins.

Joel Edgerton escreveu e dirigiu um filme em que ele é um babaca de marca maior, porém seu antagonista (ou o protagonista do filme), interpretado pelo Jason Bateman (que eu jamais poderei amar novamente) é tão ruim quanto ele. Na verdade, a única pessoa boa realmente no filme é a esposa, interpretada por Rebecca Hall, que não merecia nada disso.



Imagens retiradas do site IMDB

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler tomando um café quentinho.

Um comentário:

  1. Talvez o Richard Matheson não saiba escrever personagens femininas direito por isso o receio (mas não ponho minha mão no fogo). A resenha do Cat People me lembrou do filme Marca da Pantera (acho que é esse o nome).

    ResponderExcluir

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram