Todo dia um filme de terror: Semana 8




Diferente das outras vezes que fui escolher algum tipo de tema para a semana, essa semana eu abri uma enquete no instagram (@capirojesca) para me ajudarem a escolher o que eu poderia assistir. As opções eram “anos 80” ou “diretoras mulheres”. Diretoras mulheres ganhou, e fiquei bastante contente, porque tinham uns filmes que eu queria ver fazia tempo (como American Psycho, por exemplo).

Coincidiu, inclusive, com o dia das mulheres, que foi dia 08. Até pensei em fazer algo especial para a revista, mas a revista inteira é dedicada em pensar o papel da mulher em filmes de terror, seja em sua produção ou atuando, então deixei passar. Mas essa semana e as próximas eu estou com algumas ideias interessantes. Vamos ver.

O tema, então, foi diretoras mulheres. Diversos filmes eu já tinha visto, mas acabei assistindo novamente.

A lista:

04 de março: XX (2017)
Direção: Roxane Benjamin, Karyn Kusama, St. Vincent, Jovanka Vuckovic

Antologia de terror, com 4 segmentos. Na ordem: Jovanka Vuckovic dirige o segmento “The Box” que conta a história de uma caixa misteriosa que altera a vida de uma família completamente (pra pior, claro); The Birthday Cake é o segmento seguinte, dirigido por St. Vincent, e conta a história de uma mãe que procura fazer o melhor aniversário possível pra sua filha, e decide lidar com toda e qualquer circunstância que ponha isso em risco; o terceiro segmento, dirigido por Roxane Benjamin, Don’t Fall, narra a história de 4 jovens que decidem acampar e se deparam com algo maligno; Her Only Living Son, de Karyn Kusama, é o último segmento e trata da relação de mãe e filho, cujo pai é algo mal.
Eu amo esse filme e tenho ele decorado. Primeiro, eu amo antologias. Acho que o terror tem um potencial incrível para lidar com antologias e deveríamos ter mais. Segundo, além de ser uma antologia, ela é dirigida por mulheres. Sem dúvida é um dos meus filmes preferidos de terror. Todas as histórias são incríveis, elas tem algo ali para te contar, elas funcionam muito bem juntas mas funcionam muito bem separadas.



Observação: Esse filme foi o de número 50!!! Escolhi ele, principalmente, pelo carinho que sinto e tudo que ele representa nessa minha trajetória.

05 de março: Kiss of the Damned (2012)
Direção: Xan Cassavetes

Uma vampira se apaixona por um humano, acaba transformando ele em um vampiro e vivendo bem com ele, mas a chegada de sua irmã acaba transformando sua vida numa bagunça.
A direção de uma mulher nesse filme fez a diferença em muitas coisas. Se fosse um homem, várias escolhas de direção teriam sido diferentes e eu posso até apostar nisso. Fiz uma postagem mais detalhada dizendo o que eu achei dele, e vocês podem ler AQUI.



06 de março: A Girl Walks Home Alone at Night (2014)
Direção: Ana Lily Amirpour

Em uma cidadezinha iraniana chamada Bad Town, onde o mal prevalece, uma garota vampira, solitária, acaba acompanhando a vida de seus moradores.
Toda a atmosfera da cidade, fazendo com que seja uma cidade realmente assustadora, com a Garota acompanhando todas as coisas que vão acontecendo. É um bom filme, é interessante.




07 de março: Near Dark (1987)
Direção: Kathryn Bigelow

Um rapaz acaba se apaixonando por uma vampira e embarcando em uma viagem com um grupo dessas criaturas.
Sinceramente, esse filme é subestimado. É um puta filme de vampiros, a história é bastante simples, tem cenas ótimas e a forma como eles lidam com o vampirismo é ótima. Se você gosta de filmes de vampiros, deveria dar uma chance a esse.




08 de março: Honeymoon (2014)
Direção: Leigh Janiak

Recém-casados, um casal vai passar a lua de mel na cabana dos pais da noiva, e tudo iria muito bem se Bea, a noiva, não começasse a perambular desorientada durante a noite.
Eu considero a construção desse filme um negócio muito bacana. A gente acompanha todo o amor do casal no começo, mas percebe que, em muitas questões, eles não estavam prontos para certas responsabilidades. Discussões simples como ser mãe e essas coisas acabam fazendo Bea não ficar muito a vontade. Toda a atmosfera do filme vai piorando conforme eles vão descobrindo coisas sobre o passado.




09 de março: American Psycho (2000)
Direção: Mary Harron

Um jovem executivo do Wall Street tenta lidar com seu ego gigantesco e psicopata ao se relacionar com outras pessoas.
Fazia muito tempo que eu tava pra ver esse filme. É um ótimo filme, realmente, tem umas sacadas muito boas. Na verdade eu esperava algo bem diferente, então foi uma surpresa muito boa da forma que as coisas aconteceram.




10 de março: Jennifer’s Body (2009)
Direção: Karyn Kusama

Uma cheerleader acaba sendo possuída por uma succubus e começa a assassinar seus colegas homens.
Olha, é um filme interessante. Tem algumas coisas apelativas, mas que se fosse dirigido por um cara talvez fosse bem pior. Tem algumas coisas legais, também, então dá pra dizer que é um filme ok.




Bom, foi isso. Essa semana foi ótima, pude rever uns filmes que gosto muito e pude assistir alguns que eu tinha curiosidade. O projeto tem sido bacana por conta disso, e fico feliz de ter conseguido chegar até aqui.
Semana 9 eram pra ser filmes fora do eixo hollywoodiano, mas acabei transformando em filmes de terror com protagonismo feminino. Tem sido bacana. Aguardem o texto que tem indicações bacanas.


Imagens: IMDB.

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler tomando um café quentinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram