Todo dia um filme de terror: semana 5






Chegamos, então, na semana 5.
Durante essa semana o projeto completou UM MÊS. Um projeto de férias, que eu decidi retomar e construir algo mais bem formulado, finalmente chegou ao seu primeiro mês de vida. Difícil até colocar em palavras o quanto eu tô feliz. Nesse tempo já encontrei diversas pessoas bacanas que chegam até mim e dizem que é um puta trabalho, e essas coisas. É mesmo uma dedicação maluca, mas eu to adorando cada minuto.

Várias pessoas também já me recomendaram filmes, e eu agradeço imensamente todas as indicações. Estou anotando todas. Tenho tentado montar semanas temáticas, para facilitar o trabalho, e podem deixar que as indicações de vocês estão sendo realocadas para essas semanas. Então, se você tem alguma indicação de filme de terror ou tema, qualquer que seja, pode me enviar! Obrigada a todos que leem esses textos, e obrigada a todos que tem me falado pra continuar. Eu vou continuar sim.

Falando em tema, nessa semana 5 eu resolvi assistir filmes dos anos 60. Era pra fazer uma semana especial Zé do Caixão, mas por motivos de força maior, eu troquei.

A lista:

11 de fevereiro: À Meia Noite Levarei sua Alma (1964)
Direção: José Mojica Marins

Zé do Caixão está em busca de uma mulher para lhe dar o filho perfeito.
Zé do Caixão é um grande nome no terror nacional, e inspirou uma variedade incrível de pessoas. Eu ainda pretendo fazer uma semana pra assistir outros filmes, mas não rolou dessa vez.




12 de fevereiro: Wait Until Dark (1967)
Direção: Terence Young

Uma mulher, cega, é aterrorizada por uma gang que está atrás de uma boneca cheia de cocaína, que seu marido recebeu no aeroporto de uma mulher desesperada.
O marido de Susy Hendrix, que ficou cega recentemente, é um cara absurdamente condescendente. Cada palavra que ele dizia eu tinha vontade de jogar algo na tela do notebook. Mas Susy, interpretada por Audrey Hepburn, é uma mulher de garra. Eu gostei bastante do filme por causa dela.




13 de fevereiro: X: the man with de X-Ray eyes (1963)
Direção: Roger Corman

Um homem encontra uma fórmula que lhe permite enxergar melhor, muitíssimo melhor. Melhor até demais.
A sequência de acontecimentos desse filme me deixou boquiaberta. Valeu cada minuto só pra ver onde as coisas iam acabar. Aquela velha coisa do homem não querer brincar de Deus que ele vai acabar recebendo um castigo.




14 de fevereiro: Night of the Living Dead (1968)
Direção: George A. Romero.

Tudo parecia bem, até que os zumbis começaram a atacar as pessoas.
Sem dúvida é um dos maiores filmes de zumbis de todos os tempos, e um dos melhores filmes da década. Romero fez um trabalho incrível com esse filme. Não tem muito mais o que falar, é um clássico e se você gosta de zumbis deveria assistir e pronto.




15 de fevereiro: The Haunting (1963)
Direção: Robert Wise

Um cientista resolve fazer uma experiência com um grupo de pessoas que tenham tendências paranormais.
Casas assombradas são um tema que eu ainda tenho um longo caminho para percorrer. Conheço poucos, mas é um tema que sempre fez muito sucesso. The Haunting é um ótimo filme, tem uma atmosfera muito bem construída que vai mesmo te deixar com medo. Tem um remake com a Catherine Zeta-Jones e o Liam Neeson, lançado em 1999, mas ainda não o vi.




16 de fevereiro: The Last Man on Earth (1964)
Direção: Ubaldo Ragona e Sidney Salkow

Um vírus está transformando as pessoas em mortos-vivos/vampiros. Somente um homem tem sobrevivido.
Baseado no livro de Richard Matheson, I Am Legend, lançado em 1954, o filme não define bem se as criaturas são zumbis ou vampiros. São combatidos como vampiros, mas agem bastante como zumbis. Isso não tem muita diferença pra história (do filme, pelo menos, ainda não li o livro). E eu realmente gosto do Vincent Price, de verdade.




17 de fevereiro: House of Usher (1960)
Direção: Roger Corman

Roderick Usher acredita que sua família sofre de uma terrível maldição: a maldade, que preenche o coração dos Usher. No entanto, o pretendente de sua irmã vai até sua casa para levá-la como noiva. Roderick faz o possível para impedir.
Baseado na obra de mesmo nome de Edgar Allan Poe, eu só posso afirmar novamente: eu gosto demais do Vincent Price. Seria difícil fazer uma semana anos 60 e não colocar filmes dele. Já tinha assistido, mas queria rever.




Eu gosto bastante dos filmes da década de 1960 e 1970. No geral são filmes simples, que apresentam o que propõe e tem situações interessantes. Apesar disso, é visível que o papel da mulher nesses filmes são difíceis de engolir, e as vezes demandam muito estômago, que as vezes eu não tenho.
Mas, no geral, eu me diverti essa semana.

A semana 6 tenho ido atrás de filmes mais novos, lançados ano passado/esse ano, que ainda não vi.
Semana que vem sai textinho contando como foi.

Imagens retiradas do site IMDB.

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler tomando um café quentinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram