Todo dia um filme de terror: semana 4






O texto dessa semana tá meio atrasadinho, mas não tem problema. Aqui estamos nós com mais uma semana completa de filmes de terror.
Eu não segui muito um tema essa semana, assisti aos filmes que estavam disponíveis na Netflix e pensei que seriam interessantes.
Por sorte não tive nenhuma decepção dessa vez (Como foi com Vende-se esta casa, que eu ainda não consigo compreender por que fizeram aquele filme).

A Lista:

04 de fevereiro: It Follows (2014)
Direção: David Robert Mitchell

Uma maldição está sendo passada através do sexo. Caso você não faça sexo e passe adiante, você morre.
É uma sinopse simples, de uma ideia simples, mas que tinha muito potencial. Entretanto, eu achei que faltou alguma coisa no filme. Eu gostei, não é de todo ruim, e a ideia é interessante (algo transmitido pelo sexo, que pode te matar… aquela história de que o horror tá ligado ao medo e ao sentimento se aplica exatamente nessas situações), e veja bem, é um bom filme adolescente (e isso não é uma crítica negativa), mas quando acaba parece que faltou alguma coisa.




05 de fevereiro: Creep (2014)
Direção: Patrick Brice

Um cinegrafista é contratado para fazer um trabalho para um homem, mas as coisas saem bastante do controle, e esse trabalho não é tão simples quanto parecia.
Eu fiquei fascinada de como o Patrick Brice faz tudo nesse filme. O cara escreveu, dirigiu, atuou e é um puta filme incrível. De verdade, foi uma surpresa muito agradável. É um filme simples, mas é muito bom.




06 de fevereiro: Creep 2 (2017)
Direção: Patrick Brice

Novamente, outro cinegrafista é contratado para um trabalho, e de alguma forma as coisas acabam sendo mais estranhas que o filme anterior.
Se existe uma sequência que permanece com a mesma ideia do filme anterior e que consegue tornar as coisas ainda piores, é Creep 2. De novo o Patrick consegue escrever e dirigir um filme incrível, que você não faz ideia de onde vai dar.




07 de fevereiro: The Cabin in the Woods (2011)
Direção: Drew Goddard

Cinco amigos vão viajar para uma cabana no meio do nada. E seria um ótimo filme de clichês se ele não desse umas reviravoltas estranhas.
Olha, eu vi muita gente odiando esse filme um tempo atrás, mas não considerei ele de todo mal não. Os caras tentaram, sabe? Eles inovaram em alguns sentidos, e tem umas partes muito engraçadas e algumas outras muito boas. Acho que eles merecem consideração pela coragem. Não é um filme de terror que você espera, mas é um bom filme do mesmo jeito, pelo menos é divertido.




08 de fevereiro: The Others (2001)
Direção: Alejandro Amenábar

Uma família vive numa casa mas começam a conviver com a sensação de que a casa é assombrada.
É o filme mais antigo da lista, porque ele estava na Netflix e eu precisava assistir esse filme. E nossa, que filme. Eu não sei porque demoro tanto tempo pra assistir alguns filmes, mas fico feliz. Se eu tivesse visto antes, talvez não tivesse gostado tanto.




09 de fevereiro: The Visit (2015)
Direção: M. Night Shyamalan

Dois irmãos vão passar uma semana na casa de seus avós, que perderam contato com a filha (mãe das crianças). As coisas começam a ficar meio estranhas quando as crianças percebem que, de noite, os dois velhinhos agem de uma forma meio perturbada.
Eu comecei a assistir esse filme tantas vezes, e sempre tinha algo pra me atrapalhar. Finalmente eu consegui, e foi uma ótima surpresa. Ele pode começar meio parado, mas conforme as coisas vão acontecendo ele melhora bastante.




10 de fevereiro: Cell (2016)
Direção: Tod Williams

Celulares estão transformando seus usuários em um tipo de zumbis. Baseado em uma história do Stephen King.
Eu gosto do John Cusack fazendo papéis pro Stephen King. Consigo ver ele fazendo uma série de protagonistas de contos que estão em Tudo é Eventual ou Bazar dos Sonhos Ruins. Eu não li essa história em particular, mas o filme não é ruim. É uma história de zumbis, e acho que se fosse pra comparar com a ideia de terror dá pra comparar com It Follows: é o tipo de medo que as pessoas tem em frente ao sexo, no caso de It Follows, e diante da tecnologia dos aparelhos celulares, como no caso de Cell.




Como eu disse, nenhuma grande decepção, então considero que foi uma boa semana.
Pra semana 5 eu ia fazer um especial de Zé do Caixão, mas por motivos de força maior eu transformei numa especial anos 60.


Imagens retiradas do site IMDB.

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler tomando um café quentinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram