Todo dia um filme de terror: semana 2






Todo Dia Um Filme de Terror é um projeto pessoal, algo entre um projeto e um desafio.
Apesar de ter movido meus esforços para assistir filmes de terror mais atuais essa semana, houve um escorregãozinho. O tema ficou meio bagunçado, já que acabei assistindo Scream ao invés de assistir A Cure for Wellness, que tinha sido o filme escolhido mas que eu não tava no clima de jeito nenhum.
Mas enfim, deu tudo certo e consegui completar mais uma semana. Já são 14 filmes seguidos.

Os filmes da Semana 2:

21 de janeiro: The Babadook (2014)
Direção: Jennifer Kent

Uma mãe viúva procura lidar com o medo de seu filho de monstros, mas acaba percebendo que a coisa não é bem só da cabeça dele.
É um filme incrível e eu me senti triste de verdade por não ter visto antes. Transformando a depressão da mãe em um monstro, tangível, o filme acaba sendo uma de uma sensibilidade incrível. Foi um dos filmes que eu mais fiquei impressionada, deu medo de verdade.




22 de janeiro: Happy Death Day (2017)
Direção: Christopher Landon

Uma mulher fica presa no dia do seu aniversário, revivendo-o, até conseguir descobrir quem está tentando matá-la.
Eu tinha assistido esse filme no cinema. Apesar de algumas coisas questionáveis, como essa ideia de evolução da personagem principal e alguns detalhezinhos, eu gosto demais desse filme. Ele me diverte de verdade, e a Jessica Rothe, atriz que interpreta a protagonista Tree, tá ótima em cena.




23 de janeiro: The Killing of a Sacred Deer (2017)
Direção: Yorgos Lanthimos

Steven, um cirurgião, vê sua vida levar um rumo inesperado quando sua relação com o filho de um antigo paciente acaba indo de mal a pior.
É difícil falar sobre esse filme. É um ótimo filme, mas é bastante desconfortável. As interpretações, as situações, a forma como os relacionamentos são conduzidos. Ainda não vi outros filmes do diretor, que parecem se aproximar bastante desse. Esse vídeo aqui, do canal Redatora de Merda pode ser mais esclarecedor. Assistam, o filme e o vídeo.




24 de janeiro: Scream (1996)
Direção: Wes Craven

Sidney Prescott é uma jovem que se encontra presa no meio de uma série de assassinatos causadas por um assassino que usa máscara de fantasma.
Olha, eu amo a franquia Pânico. Na verdade era pra eu ter assistido A Cure for Wellness, e o filme não tava indo tão mal assim, mas fiquei com muito sono. Então, quando voltei a assistir, já tinha perdido o fio da meada e preferi assistir algo que eu gostasse, pra não deixar o dia passar em branco. O único filme que não é dos últimos três anos, mas tudo bem.




25 de janeiro: The Open House (2018)
Direção: Matt Angel, Suzanne Coote

Um adolescente e sua mãe decidem dar um tempo na casa de uma tia após a morte de seu pai. Entretanto, a casa está a venda e aberta a visitação.
De longe o pior filme de terror que eu já vi na minha vida, e olha que eu consigo achar umas obras absurdas por aí, graças ao meu faro pra coisa ruim. Quando você acredita que o terror ou horror são só mortes cretinas e um pouco de sangue, você acaba criando filmes como esse. Não tem motivo, não tem roteiro, não tem nada que dê pra salvar nesse filme, ele é só ruim mesmo.




26 de janeiro: Wish Upon (2017)
Direção: John R. Leonetti

Uma adolescente recebe de presente uma caixinhas de música chinesa que realiza 7 desejos, mas que acaba pedindo um preço alto para isso.
Se o canal da Disney tivesse um público de terror talvez esse seria o tipo de filme produzido, e isso não é uma crítica negativa. É um filme muito honesto, muito simples, mas é um filme adolescente, com motivações e soluções de adolescentes. Não é um problema, porque o filme faz o que se propõe exatamente a fazer. É um bom filme.




27 de janeiro: The Night of the Living Deb (2015)
Direção: Kyle Rankin

Deb passou a noite na casa de um rapaz bonitão de Portland depois de beber demais, mas ir embora vai se mostrar meio difícil depois de descobrir que a cidade está em pleno apocalipse zumbi.
Foi uma descoberta muito divertida, na verdade. Eu não faço ideia de onde achei esse filme, mas ele estava por aqui e eu queria uma coisa leve, e pensei “por que não?”. Acabou que é um filme legal. Deb é uma boa personagem, e eles tem uma boa explicação sobre o processo de zumbificação.




Nessa terceira semana pretendo assistir aos filmes dos monstros da Universal. Apesar de já ter visto alguns, montei uma semana cheia de Frankenstein e companhia.

Imagens retiradas do site IMDB.

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler tomando um café quentinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram